Qual é a utilidade da leitura? Pode parecer uma pergunta muito pragmática. É por isso que quero compartilhar, de minha experiência pessoal, cinco razões pelas quais vale a pena ler. Convido você a falar sobre a leitura para além do seu papel na aprendizagem, de ser um suposto transmissor de valores ou uma ferramenta para ter melhores habilidades neste mundo de discordâncias. Melhor, falarei da leitura como aquela que produz um estremecimento físico e psicológico bastante semelhante à felicidade.

Ler me dá calma

Ler é uma pausa no ritmo frenético da vida diária. É, sem dúvida, uma atividade que exige calma, aquela que às vezes fazemos na hora do almoço ou antes de dormir, olhando com insistência para o celular e as redes sociais como se em busca de algo insuspeito que nos tire da rotina e no final vamos para a cama cansado e meio vazio de humanidade, de sentido. Usamos os dispositivos mais incríveis que a tecnologia criou para assuntos que não nos preenchem e esquecemos que para nossa sorte também existem livros, na forma de apps, livros digitais e outros formatos que captam aquela emoção de se esforçar para saber algo que amamos. e isso requer mais de 140 cartas para nos satisfazer.

Adultos com crianças e excesso de trabalho sabem o que vale a calma, o que significa encontrar-se consigo mesmo em algum momento do dia e se emocionar, ficar com raiva ou rir em voz alta das questões mais profundas ou triviais da vida e que encontram grande eficácia nos livros. Qual é a utilidade da leitura? Para encontrar o bem-estar.

Ler é ler, mesmo quando parece não ler

Quase posso garantir que o primeiro encontro das crianças da minha geração com a literatura não foi exatamente por meio dos livros. Será um lugar-comum dizer que há alguns anos nos desalojávamos com pouca dor de nossas camas nos fins de semana em busca das adaptações animadas dos Irmãos Grimm, ou das fantásticas narrativas de "O Contador de Histórias" e não porque a televisão em gostávamos de nós mesmos, mas porque essas histórias particulares tinham algo inexplicável, um sentimento pessoal inquietante, quase privado, como se estivessem nos contando sobre nossos sonhos na vida real ou possível. Essa magia se realiza pela literatura, a boa, aquela que comove o coração de quem está próximo, seja qual for o formato em que se apresenta.

Vai ser muito estranho falar da televisão, seu arquiinimigo, num texto sobre a leitura, mas teremos que fazer uma pausa nesta longa disputa e reconhecer como este meio, muitos de nós, nos permitiu chegar a outros textos que conseguiram recuperar aquele tipo de paraíso que com o tempo perdemos entre as labutas do dia e o consumo indiscriminado de entretenimento. Valorizar o formato impresso acima dos demais é uma limitação hoje onde muitos possuem dispositivos que podem armazenar milhares de livros e que permitem maior acesso. Qual é a utilidade da leitura? Saber encontrar literatura, poesia onde quer que formos.

Ler me liberta

Rodari Ele disse: “O uso total da palavra por todos me parece um bom lema, com um belo som democrático. Não para que todo mundo seja artista, mas para que ninguém seja escravo ”e acho que Rodari tinha razão, que havia encontrado a ervilha que machucava a princesa do conto clássico debaixo dos colchões, quando disse essas palavras libertárias, porque reconheceu o quão incômodo que pode ser ler e escrever em um mundo que restringe, que não lhe convém que você pense e diga muito e que também esteja determinado a nunca ter tempo.

Nesta realidade avassaladora, a literatura infantil ou adulta (prefiro pensar que não existe essa literatura infantil mas sim literatura de qualidade ou não) acaba por ser uma forma de nos libertarmos das cadeias, de ver o mundo pelos olhos de muitas pessoas. , para sair da realidade que nos foi pré-fabricada e entrar na intimidade dos outros para tirar as nossas próprias conclusões. Ana María Machado, admirada autora de livros infantis, disse que a única solução para evitar a alienação, a única história que a ideologia cria - referindo-se à que está presente nos livros - foi a diversidade, a possibilidade de ver muitas perspectivas do mundo e gostaria de transferir essa ideia não só para os livros, mas para a vida em geral. Quando conhecemos mais arestas de um problema, quando conhecemos as causas e não apenas os efeitos, somos mais ousados, mais profundos e mais críticos. Qual é a utilidade da leitura? Para pensar livremente.

Ler me conecta com outras pessoas e com o mundo

Leitura Tenho visto crianças mais críticas crescerem em bibliotecas, escolas, espaços públicos e residências, com mais capacidade de se maravilhar e com melhores ferramentas para viver neste mundo difícil que construímos. Crianças que doem mais pelo outro, que conhecem mais o mundo, que estão mais conscientes de sua participação como cidadãos e como irmãos, pois através dos livros construíram sua subjetividade, uma personalidade cheia de vozes e experiências do que de palavras e imagens. eles encheram seu mundo de referências culturais, emoções e realidades que os tornaram mais humanos, mais felizes. Há algum tempo ouvi dizer que não existe lugar mais seguro do que um livro e apesar de todos os contra-argumentos que me ocorreram na altura, posso assegurar-vos que sim, não haveria lugar mais seguro para aprender sobre a morte, sobre a sexualidade , de amor, guerra e amizade do que uma história que passa ao outro, mas que acontece dentro de nós, quando nos identificamos, quando nos colocamos no lugar do outro e nos enchemos de ideias e palavras para enfrentar o que sabemos e o que ainda não. Qual é a utilidade da leitura? Para me reconhecer e aos outros.

Qual é a utilidade da leitura? Ser mais feliz

A felicidade às vezes é vendida em garrafas, viagens, objetos ou diplomas, mas às vezes a felicidade é dada pela leitura em voz alta de uma biblioteca pública; em espaços familiares como o Restaurante Globo - oficina onde os livros inspiram a forma da comida ou oficinas de leitura em família são realizadas e em muitos outros ambientes para as ideias que os livros mobilizam. No sorriso das crianças quando se emocionam com uma imagem, frase ou ação de um personagem, quando ler não é só sobre mim, mas sobre o carinho que dou a um pequeno. Resta encontrar tempo para acompanhar as crianças na busca dos livros de uma forma menos direcionada –escolar- e mais orgânica, como no ponto de ônibus, no restaurante, no parque. O fato de as crianças verem seus pais lendo e conversando sobre o que leram no jantar, temos certeza, é mais eficaz do que aulas de línguas.

Essa felicidade não se torna uma desculpa boba para justificar a necessidade de ler mais em um país que carece de provas de leitura e outras medidas do impossível. Visite as bibliotecas, leia em família, dê um livro de aniversário, leia a si mesmo e depois se preocupe com a leitura de seu filho - como em aviões, você deve primeiro colocar a máscara de oxigênio para ajudar os outros. - A felicidade existe e existe em oposição à tristeza. É paradoxal como identificamos o segundo com tanta eficácia e o primeiro escorrega de nossas mãos de vez em quando. Não a deixe ir.

Comentarios

  • Excelente dijo:

    Motivador el texto, ojalá muchos lo tomen encuenta

    janeiro 08, 2021


Deja un comentario